domingo, 30 de dezembro de 2007

Caricaturizar (ou desenhar os outros)


Sempre achei complicado desenhar os
outros. Primeiro, e mais importante, porque
o desenho pode não agradar. "Eu não sou assim"
é algo muito comum de se ouvir, apesar de um
grande número das pessoas sorrir quando vêem
o desenho. E, segundo, é porque aquela não é
a pessoa em si, mas a visão que você tem dela. Em
outras palavras, é como você a vê, uma parte de
você, ou melhor, uma parte dela filtrada por seus
olhos. Complicado, não? Esse foi um dos meus
receios em fazer esse "projeto" das camisas.
Mas gostei do resultado final. O melhor comentário
que ouvi foi de uma das vítimas, que disse: "Gente,
isso aqui é putaria!"

Um comentário:

Fred Macêdo disse...

Bom, só hoje vi o blog, então não vou comentar só esse desenho mais tudo o que vi.

Antes de mais nada tenho que dizer que sou fã do trabalho do Felipe.

Das reuniões que participamos lá na Oficina de Quadrinhos da UFC sempre fico impressionado com o desprendimento com que ele desenha. Basta encostar ali num cantinho e o desenho sai.

Lembro do dia em que fez o desenho do Mototáxi Fantasma e achei simplesmente genial. Quem sabe não fazemos um crossover entre ele e o Magro um dia, não?

Gostei de todos os trabalhos. Como são caricaturas não tenho como comentá-los comparados às vítimas mas, em tendo sido eu já uma dessas vítimas, já conheço a competência do artista.

Acho que o trabalho dele tem muita personalidade, não parece com nada do que já vi. É o estilo do Felipe (ponto!)

Amigo Felipe, acho essa iniciativa de lançar seus desenhos aqui na net uma ótima idéia.

É sempre bom expor o nosso trabalho ao crivo de terceiros.

Só espero que poste também algumas páginas de quadrinhos, ok?

Abraço!

Fred Macêdo